quinta-feira, 31 de julho de 2008

E Depois??


Primeiro o Espanto!...
Depois
O Sentir...
Depois
A Derrocada...
ficar esmagada nos escombros
dos sonhos
quebrados a murros.
Depois
Os Gritos Mudos
que pintam de sangue
as paredes do doce lar...
Depois
O entrar da noite
pelos olhos negros
que fingem que dormem.
á espera de uma nova manhã
desalmada...
Depois
Uma Certeza!
Que o sol brilha!
e que vai dourar a pele
em tons de pesadelo.
Depois...
Primeiro...a derrocada...os gritos mudos...o espanto?
E depois?
E depois?

maria loBos

(Nunca a mão que esbofeteia e humilha volta acarinhar...Acredita)

*“Trinta e nove mulheres mortas por violência doméstica em Portugal no ano passado.

36 comentários:

gaivota disse...

está fantástica esta homenagem a todas as mulheres que são esbofeteadas (termo "leve"), tantas vezes até à morte...
e depois?
é este ar de silêncio que cala o mundo?!?!?!?!?!?!
onde estão aqueles que têm poder para terminar com estas situações?
é bem mais fácil passar ao lado...
beijinhos

© Piedade Araújo Sol disse...

num poema, consegues entrar num tema tão real, tão triste.

sem mais comentários.

beij

Nuno disse...

olá! Trinta e nove mulheres é muito! As Mulheres devem ser tratadas com muito carinho e infelizmente existem Homens que não se apercebem disso. Acho que todas as mulheres deveriam aprender técnicas de defesa pessoal para se prevenirem. Em relação ao teu comentário. Beijos para todas as meninas, significa beijos a todas as meninas da minha lista de links e a pessoa com quem falo no msn, da minha lista de links tem 58 ou 59 anos... Os beijos também são para si. beijos e uma boa quinta feira.

Coragem disse...

Parapeito este tema diz-me demais do que devia...
Mas confirmo, que a mão que bate, nunca mais volta a acarinhar...
Muito ainda há a ser feito, mas o principal passa pelo amor-proprio.

beijo

mundo azul disse...

Belíssimo e triste poema!
Sim! Penso dessa maneira... A mão que esbofeteia, voltará a fazer...Mais dias, menos dias...

Beijos de luz e o meu carinho!

Verónica disse...

É uma realidade muito triste. A agressão física e verbal por parte de muitos maridos,namorados ou companheiros!Mas a sociedade desenvolveu a primazia do homem sobre a mulher! Infelizmente!
Esse conceito foi herdado dos nossos antepassados! E,muitas mulheres devido à fraca auto-estima porque o pai já lhes batia na infância ,acham que merecem que os maridos façam o mesmo. Ninguém imagina o que muitas mulheres sofrem entre quatro paredes.
Conheço casais muito respeitados pela comunidade, aparentemente muitos bem casados mas...mas...
Parabéns por teres trazido um tema sobejamente conhecido mas que é tão real nos dias de hoje. A fotografia é interessante ,o agressor manda sempre silenciar!
Quem espanca uma mulher ,um filho ou outros necessita de TRATAMENTO PSICÓLOGICO e até mesmo PSIQUIÁTRICO.

Anderson Meireles disse...

Eu como homem posso dizer que levantar a mão à uma mulher é o maior sinal de que não se é homem o bastante para conseguir algo com palavras.
Sou mais macho pq não sou violento.
Belo protesto, precisamos,
Um abraço!

Uma estrela errante disse...

Olá menina dos sentires,

Gosto...gosto de te ler...

No final,

Depois?

depois as cicatrizes ficam tatuadas na pele e na mente....

Beijinhos

Isa

Fernando Santos (Chana) disse...

Cara amiga...Excelente texto...
Beijos

BlueVelvet disse...

Lindo demais este poema que tão bem retrata uma realidade ainda muito escondida.
E depois?
Depois das duas uma:
Ou só acontece uma vez porque não se dá 2ª hipótese ou se fica nessa situação para sempre.
Porque como dizes, mão que bate nunca mais acarinha.
Beijinhos

Fernanda disse...

Há diversas espécies de machos,...que por mais insignificantes que sejam,...conseguem,... não se sabe bem como,...conquistar uma mulher.
É preciso que a MULHER tenha consciência que:

NOS TEMPOS QUE CORREM, NÃO PODE ADMITIR QUE UM TIPO A MAL TRATE AO PONTO DE A MATAR.

Um bom fim de semana com

"Uma Certeza!
Que o sol brilha
e que vai dourar a pele"

sem tons de pesadelo...e sem depois e depois...lolol

Fernando Rodrigues disse...

Um excelente apoio e homenagem a todas estas mulheres, parabéns pela força dada

bjus

Fernando

Mariz disse...

Salvé Parapeito!
Gostei muito do poema escolhido..gosto particularmente da autora também.
Porém...há um senão aqui...que, embora simples, parece muito complicado - basta olhar para as notícias e índice em geral...
Só quando as mulheres SE RESPEITAREM A SI MESMAS e acreditarem que saõ um VALOR HUMANO como seres de LUZ, aí sim, jamais alguém lhes tocará!
Lembre-se ainda, que todas escolheram essa via - inconscientemente - para assim poderem perceber o salto que devem dar, para o tal...lado "quântico" - salto esse que lhes faltou dar noutra existência.
A olho nu, é difícil de ver, ler presenciar...
é mais difícil ainda quando se volta costas á essência das coisas - a única que nos move animicamente - e ainda mais difícil é constactar-se que as pessoas continuam a preferir ser surdas e cegas.
é por isso que o mundo anda adormecido e mais ainda...escuro!!!
Deixo-lhe um beijo
E...sugiro que não saia do seu eixo com este tipo de assuntos, que incomodam, eu sei, na generalidade - a mim, já nem tanto... porque aprendi a dominar um pouco mais as emoções no sentido de indignações, revoltas; consigo já, colocar a preceito "o porquê" das coisas e assim sendo...não me enervo!
Conforme ensinamento yogui que recebi, devemos sentar-nos no nosso trono - no sentido de realeza que somos,vindos da LUZ SUPREMA - e presenciar o drama da vida, como de espectadoras fossemos...quer perante os nossos pensamentos, que são vivos, e perante a realidade na acção, que primeiramente se forma na mente. Depois, basta mantermo-nos serenas, como se nada se passasse. Só a alma traz o projecto que deve ser vivido, para se evoluir...não é o corpo..embora este seja o veículo. Portanto, viver como criança, será a via certa. Nenhuma criança se debruçaria perante este ou outros factos...poderia quanto muito ficar a olhar e talvez perguntar: o que é aquilo? e/ou porquê? questões essas que os pais de certo tentariam dissuadíla com outros assuntos.E assim, a criança pouco tempo depois, já nem se lembraria do que viu.

Deixo-a pois com esta simples nota.
Receba-a ou deite-a fora...mas não conjecture...não por mim...mas por si.
Abraço meu
Mariz

Secreta disse...

Depois ... depois ... depois ...
Depois morre a esperança , depois morre o amor próprio , depois morre o gosto pela vida ...
Depois ...


Beijito.

João Videira Santos disse...

Gostei. é um poema-aviso, um alerta. A violência doméstica, a forma como a mulher é tratada e discriminada, são bem a vergonha da sociedade em que vivemos. Infelizmente, acontece e envergonho-me de tal.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Escolha exclente do poema para homenagear as mulheres vítimas de violência. Felizmente, parece que a evolução do país tem permitido que se vão conhecendo mais casos. As mulheres começam a não ter medo de denuncr e isso é muito positivo!

DE-PROPOSITO disse...

A violência nada resolve. MAS ELA CONTINUA A SER USADA. Os poderosos utilizam-na contra os mais fracos. Se os fracos, tivessem o poderia deles não a utilizariam. Também os deuses utilizam a violência. A destruição de Sodoma e Gomorra é exemplo disso.
Fica bem.
E a felicidade por aí.

neo-orkuteiro disse...

Venho de outro blog lusitano conhecer o teu, Parapeito. Deu-me vontade. Tua foto do perfil mostra apenas a boca. É uma boca portuguesa, com certeza.

Vejo que você se expressa em versos. Bons versos, achei. E eles dizem algo de grande impacto, que convida a refletir e também a agir.

Os números oficiais em seu país já são suficientemente alarmantes, mas (o que é bem pior ainda), o problema é planetário. Parece fazer parte de todas as culturas, etnias, credos, línguas. Infelizmente.

RESSACA disse...

Aqui nasceu o Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

tb disse...

Depois mulheres e homens aprenderão a sê-lo e o mundo será melhor. Até lá...
beijo por esse escrito lindo :)***

Shadow disse...

Olá!

Depois de ler atentamente este teu texto, tão forte, tão real, só te posso dizer uma coisa sentida!
Gosto de te gostar!

Bjs,
Shadow

lady-of-smile disse...

"E depois?";
e depois, as "bestas" (desculpem a expressao) que fazem essa coisa cruel nao deviam ser consideradas humanas, mas sim animais...quer dizer, nem e' esse o termo "animais" porque os animais nao sao assim tao "bestas".

Gostei imenso deste texto e da imagem ;)

Beijo salgado como o mar **

Pedro Branco disse...

Os meus dedos percorrem-te suave
Dançam no teu corpo por entre mares e areais
Planam, em doce voo de ave
Que se perde nos caminhos por onde vais

Estes dedos assim traçados
Do carinho mel da ternura
Nunca serão fonte de rios amargos
Porque da pele, só o amor dura

Mulher, gravidez do mundo inteiro
Que morre e nasce em tudo o que tem sido
De mão dada, companheira e companheiro
Se sustentam sempre de punho ergguido

Santhiago Ramirez disse...

Isto é uma tristeza... aconteceu com amiga minha, casada com homem que todos nós, os amigos dela, críamos não fosse dos mais corretos. Ela, entretanto, o amava. Mas o amor cede à realidade, quando esta é por demais rude. Felizmente, hoje ela está bem.
Beijos carinhosos do Thiago

Belisa disse...

Olá

Poema triste, com sua mensagem mas muito belo.

Beijos estrelados

blueminerva disse...

Conselho às almas desprevenidas:

"Quando alguém te disser
que te bate por carinho
faz tal qual o seu querer
e dá-lhe um murro no focinho!

beijocas

Graça Pires disse...

Comovente e belo este poema dedicado às mulheres vítimas de violência doméstica. Um beijo.

OUTONO disse...

Olhar o texto, descodificar o número...e pensar....

É muito...digo!

Se juntarmos outras agressões...é demais!

Infelizmente, a violência irá aumentar...e será até mais mortal quando psicológica....

soupoeluz disse...

vou partir mas antes...tem yma celebração á sua espera. Brinque como uma criança e desfrute o convívio com os demais.
abraço

Mariz disse...

Salvé!
Tem uma celebração á sua espera. Divirta-se como criança e faça do momento um dia inesquecível e como é bom ter um coração puro sem medos.
Desfrute a festa com os demais.
estou de saída.
Abraço

Perla disse...

E depois???
As vítimas de violência doméstica precisam de quem as ajude a sair duma situação dessas. Mas o primeiro passo tem que ser delas: Não podem calar! Mas muitas vezes nem ousam abrir a a boca... por tantos motivos.
Elas têm que saber que há quem as ajude, que não tenham medo de pedir ajuda.

Beijo

Carla disse...

Não tinha lido este post...passei para te desejar bom fim de semana...e perdi-me na força das tuas palavras
beijos

Fénix disse...

Obrigada pelos teus comentários. :)
Sim, a mão que bate não é de confiança e não merece respeito e muito menos amor.
Um beijo.

Lena disse...

:(

Infelizmente esta é a realidade!

Nogs disse...

É verdade.

Obrigada por este teu gesto sublime a todoas as mulheres que, infelizmente, já passaram por isso. É uma mensagem muito importante.


Beijinho

Å®t Øf £övë disse...

Quando as situações começam a desencadear-se há que saber terminar logo com a situação, porque se assim não for a única coisa que se pode esperar é que vá piorando de dia para dia, como uma verdadeira bola de neve. Infelizmente as pessoas têm dificuldade em saber quando se deve por um ponto final, daí os resultados depois se revelarem tão desastrosos.
Bjs.