sábado, 26 de julho de 2008

Amália Rodrigues - Nem às Paredes Confesso



Se hoje pudesse...voltava a brincar á apanhada e ás escondidas,voltava a ter os joelhos pintados de negras dos tombos sem dor, que dava no Largo do Capelão, a jogar com bolas feitas de meias ..
Se hoje pudesse voltava a brincar de alma nua de incertezas...a rir endiabrada e solta pelas ruas da Mouraria...tendo como poiso seguro o meu Beco do Jasmim..
Se pudesse voltava a acreditar...que todos os corações cheiram a mangerico e cantam fado... Se hoje pudesse... voltava a ter 6 anos.

maria loBos


(porque gosto de partilhar...aqui vos deixo fado e para os que não gostarem , tem o poema que é lindo . Nem ás paredes confesso....porque há coisas que não se devem confessar às paredes nem ao senhor Padre Cura :)

30 comentários:

Coragem disse...

Se eu hoje pudesse voltar atrás no tempo, partilharia contigo as mesmas brincadeiras de meninas.

As ruas não eram as mesmas, a Cidade sim e a vontade também...

Beijo e bom fim de semana

Su disse...

se eu pudesse......se......

jocas maradas de tempo...todo..

tb disse...

Porque quando o coração simples deseja o universo conspira. e por isso... brinquemos de meninas e digamos que nunca é tarde, Sonia! :)**** (porque li o abaixo)

RESSACA disse...

Quem conhece a sua ignorância revela a mais profunda sapiência. Quem ignora a sua ignorância vive na mais profunda ilusão.

Nuno disse...

Olá! Lindas palavras...é sempre bonito fazer uma retrospectiva da vida, da nossa infáncia, para que no nosso interior exista sempre uma criança, até para entrar na brincadeira dos mais pequeninos ( caso dos meus primitos que ás vezes me chamam para brincar com eles...lol ) Ás vezes não me apetece muito, mas brinco na mesma. Fado não ouço muito, só quando a minha Mãe põe a tocar aqui em casa. Vi o espectáculo da "Amália", no coliseu do Porto e as lágrimas vieram-me aos olhos. Gostei muito do espectáculo e também gostava da Amália Rodrigues. beijos e um bom Domingo!

DE-PROPOSITO disse...

Se hoje pudesse... voltava a ter 6 anos.
--------------------
No entanto, também há muitos adultos que não têem saudades de quando tinham 6 anos. E de certeza que não são assim tão poucos.
Fica bem.
E felicidades.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Maria, bela letra de belo fado...Espectacular...
Beijos

Filipa Epifânio disse...

Este post é perfeito...lindo o fado e as tuas palavras tão sinceras e cheias de verdade!

Nilson Barcelli disse...

"A tempo inteiro vadios
como num fado da Amália,
somos um povo castiço
que lava no rio a cantar
as guitarras da saudade
da vida que não levou
e que teima em não mudar."

Não, não foi o Pedro Homem de Melo que escreveu os versos acima.
Quem terá sido...? Nem às paredes confesso... rsrs...

Fizeste-me recuar no tempo... a jogar bola de trapos... a dar cabo dos sapatos e das calças...

Boa semana, beijinhos.

Verónica disse...

Gosto de Amália!Para mim fado é Amália! Que me desculpem os outros nomes sonantes do género!
Saudosismo da infância? Devia ser o período mais feliz das nossas vidas , o que acontecer mais tarde ,depende em grande medida do começo!
Esse sorriso é seu? Descubra-o! lol

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Se vltasse a ser miúdo também talvez cantasse isto:
"Não me lembro depois, como foi/ escorreguei cái no chão/ no joelho ficou um dói dói/ No nariz um arranhão...
A minha faceta pirosa tem destas coisasEh Eh Eh!

Secreta disse...

Se eu pudesse também ...!
Beijito :)

Vieira Calado disse...

Amália... uma voz fabulosa!
Bjs

BlueVelvet disse...

Poucos são os que não quereriam também voltar a ter 6 anos.
Voltar aos nossos lugares de infância, às nossas brincadeiras e à inocência desse tempo.
Fica a recordação...
Boa semana, beijinhos e obrigada pela visita

Maria Clarinda disse...

Lindo!!!!Se eu hoje pudesse voltar atrás no tempo....
Jhs

Cöllyßry disse...

Ainda hoje brinco...Brindemos

A lagrima no canto do olho,permanecerá no tempo...A grande e unica...Amália

Terno meu beijo

Shadow disse...

Adoro este fado!

quanto ao texto, fizeste sorrir, pois a minha imaginação começou logo a trabalhar :)

Bjs,
Shadow

ZezinhoMota disse...

É um lindo poema e vai ser eterno assim como a voz.

Bjnhs

ZezinhoMota

Fernando Rozano disse...

ganhei de um amigo, recém vindo de Portugal, um cd de Amália ao vivo no Olympia de Paris, show de 1957. Emocionante. belíssimo post. abraços.

Carla disse...

se eu pudesse copiava as tuas palavras e faria delas meus desejos
beijos e adorei...

Miguel Augusto disse...

Uma canção muito bonita! E é sempre bom partilhar! :)

O Profeta disse...

Eu não me confesso...


Majestosa e altivamente submissa
Uma árvore curva-se à lagoa
Encontrei um arco-íris perdido na terra
Este canto não pára até que a alma doa


Convido-te a olhar os sentires que emanam do altar do Sol


Boa semana


Mágico beijo

Graça Pires disse...

Se eu pudesse pintaria no olhar a estrela da manhã...
Sou fã da Amália. Um beijo.

Pedro Branco disse...

Muitas vezes andamos assim: entre o desjo de regresso a um passado de magia e a construção de um futuro de sonho. Esta inquietação eu confesso. Sempre.

Perla disse...

Oh!... se se pudesse voltar à infância doce e colorida! Mas o que é preciso é ter um coração de criança!

Bonecas da Filó disse...

Muito obrigada pelas tuas tão simpáticas palavras.Adorei tambem o seu blog está muito bonito,tambem adoramos a Amália temos um blog da Amália a Dama do fado.Beijinhos e Felicidades

brisa de palavras disse...

Eu costumo chamar a esse tipo de coisas " os nossos jardins proibidos" que realmente...nem às paredes confessamos...
Não sei se queria que o meu tempo voltasse aos 6 anos...
um abraço
brisa de palavras

gaivota disse...

a grande amália e a sua eterna voz
a imortalidade de grandes poemas, porque as palavras são eternas
excelente!
beijinhos

Carlos César Pacheco disse...

Tenho todas as idades, seis anos também e adorei este presente.

Å®t Øf £övë disse...

Fez agora por estes dias 10 anos que ela deixou o convívio entre nós. parece que foi ontem!!!
Como o tempo voa!!!
Bjs.