domingo, 29 de junho de 2008

Impressionista


Uma ocasião,
meu pai pintou a casa toda
de alaranjado brilhante.
Por muito tempo morámos numa casa,
como ele mesmo dizia,
constantemente amanhecendo.

Adélia Prado
*
(E que bom se assim fosse em todas as casas)**

(imagem google)

12 comentários:

Miguel Augusto disse...

Acho que o importante é mesmo acreditarmos! Beijinhos

Filipa Epifânio disse...

Uma casa "constantemente amanhecendo"...que imagem deliciosa :D

*

tb disse...

pois é :))))))amanhecendo malmequeres de esperança :) beijo

Uma estrela errante disse...

Olá, menina linda!

Uma delicia de se ler....

Irradia sonhos preciosos...

Beijinhos

Isa

Maria Clarinda disse...

Lindo, lembra-me um filme que vi "The Bridge to terabithia", em que a casa também é pintada assim, e , no fim os pais e as crianças sentam-se no chão contemplando o pôr de sol.
Adorei andar pelo teu espaço, voltarei sempre. Jinhos

Maria Clarinda disse...

Só para te dizer que a música que hoje passa no meu blog tem a ver com um gosto nosso comum...sabes qual é?
Jinhos

João Videira Santos disse...

Um edição feliz de Adélia Prado.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, belo tecto...Sempre a esperança de um dia melhor...

Joanita disse...

Gostei!! *

Luis Eme disse...

a imagem poética é bonita...

mas acho que enjoava o laranja...

GP disse...

Eu "conheci" Adélia Prado pela primeira vez o ano passado quando frequentei um workshop de fotografia em Serralves. E houve uma frase dela de que nunca mais me esquecerei "Deus, de vez em quando, ma tira a poesia. Olho para uma pedra e vejo uma pedra". Linda, não?

Beijinho

Å®t Øf £övë disse...

Não há nada como sabermos rodear-nos de coisas e situações que nos façam encarar as agruras da vida com um espirito positivo e alegre.
Bjs.