domingo, 1 de março de 2009

Cartas de Amor*


...Este fim de semana aproveitei para ler um livro que a filhota "velha " comprou .No inicio um pouco desconfiada , acabei por chegar ao fim a gostar de ter lido.
De facto Álvaro de Campos tinha razão ao escrever : Todas as cartas de amor são Ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem Ridículas.
*
Eu gosto muito de cartas de amor ....daquelas muito ridículas :)
Para quem goste tambem de cartas de amor ,aqui deixo vários pedacinhos dalgumas dessas cartas.
***
...“Querida Mulherzinha: … Peço-te que não estejas triste; que olhes pela saúde e tenhas cuidado com as aragens primaveris; não saias sozinha – de preferência não saias de todo; tenhas a certeza absoluta do meu amor; que a tua conduta seja cautelosa, não só para a tua honra e a minha, mas pelas aparências. Não te zangues por pedir isto. Devias amar-me ainda mais por dar valor à tua honra… Que coisas tens feito? Tenho uma curiosidade natural por todas estas coisas. (Wolfgang Amadeus Mozart, 1756-17919, para sua mulher Constanze Weber)"
***
... Ó minha bem amada Eva, luz dos meus dias, luz das minhas noites, minha esperança, minha adorada, minha inteiramente amada, minha única querida, quando te verei? (…) Um beijo, meu anjo da terra, um beijo saboreado lentamente, e boa noite! (Honoré de Balzac , 1799-1850, para a Condessa Ewelina Hanska, sua amante e mais tarde sua mulher)"
***
..."naquela tinta vermelha com que os anjos escrevem cartinhas de namoro às estrelas… quem me dera escrever-te com uma pena assim, e com uma tinta igual – eu seria, pela primeira vez, anjo, e tu serias o que há muito és: estrela. (António Nobre, 1867-1900, a Cândida Ramos, de quem estava enamorado)"
***
...".meu Bebezinho, minha almofadinha cor-de-rosa para pregar beijos (que grande disparate!) Mando um meiguinho chinês. E adeus até amanhã, meu anjo. Um quarteirão de milhares de beijos do teu, sempre teu. Fernando. (Fernando Pessoa, 1888-1935, para Ofélia Queiroz)"
***
São muito mais as "Cartas de Amor de Grandes Homens" de Ursula Doyle...e todas elas Ridículas :))
**
(imagem net)

23 comentários:

Nanda Assis disse...

que bacana o livro que ganhou da sua filha, eu gosto tbm.

bjosss...

tulipa disse...

Será o amor ridiculo? ele é que faz escrever as cartas?
um abraço
tulipa

Å®t Øf £övë disse...

Alvaro de Campos dizia que todas as cartas de amor são ridiculas, eu pessoalmente acho-as todas muito ternurentas quando escritas com sentimentos saidos do fundo da nossa alma.
Bjs.

tb disse...

Ridículo é aquele/a que nã osabe escrever cartas de amor. Porque a alma é demasiado pequena e os olhos demasiado fechados. O coração, esse, frio como a neve polar. :)
Sempre boas escolhas, as tuas, vindas do coração. :)*********+
Até sempre!

Aqui - Ali - Acolá disse...

Amiga:
Cartas de amor serem ridículas?..
Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas!..

E eu que adoro tanto cartas de amor fiquei assim um pouco espantado com esta tua exclamação mas, cada pessoa tem a sua opinião e contra isso, não se pode censurar ou criticar quem tem opinião diferente.

Uma vez recebi uma carta de amor que dizia assim no final.

Depois de tudo o que atrás te revelo, termino esta carta enviando-te todo o meu amor que sempre te dediquei sem nunca me esquecer de ti a quem tanto amo.

Ora bem, que alegria e felicidade se pode ter depois de um final destes?

Depois, havia aquelas cartas de amor com lindas flores brilhantes e corações vermelhos que ao receber uma carta dessas mais o coração se excitava de alegria.

De muitos géneros havia e ainda há cartas de amor, pois só a palavra (amor) nelas imbutida faziam e fazem crescer em mim uma emoção muito forte entre a ligação daquilo que é um sentimento muito saudável (o amor).

Isto é o que eu penso sobre as cartas de amor, pois sem ser mau nem ruim, te desejo uma óptima semana e se possível com muitas cartas de amor.

Bjinhos doces como aqueles de açúcar

Parapeito disse...

...Minha boa gente..só uma coisinha...
quando disse que gostava de cartas de amor ridiculas...foi no contexto de que é bom receber cartas de amor...mesmo que possam parecer ou até ser ridiculas pelo facto de quando as lemos...sentirmos nos assim como que meio nao sei bem...tipo meio apatetados :) nao foi boa esta frase...
Mais assim...gostarmos tanto de as receber que o coração ri e a pele arrepia...alguem decerto vai dizer...que frase mais rídicula :))

Um abraço

clic disse...

Não sei já em que filme, um amigo dizia a outro: "Love is not blind, love is retarded"!

Portanto, as cartas são ridículas, os actos são ridículos mas, no fundo, aquilo que o ser humano mais ambiciona viver é essa ridicularia, palavra que, apesar de se traduzir por "coisa de pequeno valor", é o estado mais grandioso duma vida!

Graça Pires disse...

Pois é: mas rídiculo é quem não escreve cartas de amor...
Um beijo.

Pedrasnuas disse...

E quem nunca escreveu cartas de Amor (extremamente) ridículas? Eu já escrevi muitas ...de amor e de amiga!
Até sinto saudade de alguns amores ... tão infinitamente ridículos que foram!!!

Abraço ridículo

Izinha disse...

Não acho q sejam ridículas, a demonstração de sentimentos não é se expor ao ridículo, é sim se fazer amar, cada vez mais.

bjos e linda semana prá vc!

Carla disse...

gostei muito de ler
beijos

O Profeta disse...

O amor é sempre tão actualmente ridiculo...mas bom...


Doce beijo

Secreta disse...

Eu adoro cartas de amor , sejam consideradas ridiculas ou não ... :)

Nilson Barcelli disse...

É verdade que o são, excepto para quem são endereçadas. Se existe amor recíproco, claro. E o "arrepio" é mesmo uma boa palavra para definir a sensação da leitura.
E algumas cartas~são mesmo lindas...
Beijo.

Xana disse...

hehehehehe o que as pessoas escrevem e dizem quando estão enamoradas :)
* não sei se foste lá e reparaste , mas sem querer apaguei o teu comentario , mas como já tinha lido agradeci o teu poema a que nos dedicaste :)
beijinhos

vagabundo disse...

Claro que aceito.
Não publico...
mas guardo e registo,
com muito agrado...
e consideração.
sobretudo os de quem gosta de cartas de amor...
e embora um "sorriso na tempestade"
venham mais a meu favor;
para o seu post...
uma pequena contribuição:

"Especialmente para Ti


Pelos gestos que não tive
E que deveria ter tido...

Pelas palavras que te não disse
E que deveria ter-te dito...

Pelo eu que não fui
E que deveria ter sido

- E Porque se fui...
Muito melhor poderia ter sido -

Pelo que sou,
E não mostrei.

Pelo que tenho
E não te dei.

E porque tonto...
Preciso, não o achei.

Não quero mais
Estas palavras caladas,
Que por ti só,
Soam apaixonadas.

E que se morrer..
Não mais t’as direi."

ps: não sei se já lá tinha chegado...

vagabundo disse...

...E um pouco mais ridículo(!?):


"Quis escrever um poema
Que cheirasse a açucena
A rosas e a jasmim...
Ainda que em estrofe pequena
Valeria decerto a pena
Se dissesse que em mim...
Cheiras assim.

Pequeno poema de amor
Um beijo, uma flor...
Um presente, uma canção.
Deste sempre enamorado,
Terno e doce apaixonado
Que te traz no coração."

("Uma flor no coração" - Rimasexbar)

© Piedade Araújo Sol disse...

são sempre ridiculas, para quem nao as recebe....

eu tambem escrevi (acho que ainda escrevo) cartas altamamente ridiculas...

beij

L disse...

As do Fernando são qualquer coisa!

ZezinhoMota disse...

Escrevi imensas cartas de amor e nunca me arrependi de o ter feito.

Ainda hoje o faço, mas agora escritas na minha poesia...

Bjnhs

ZezinhoMota

notyet disse...

Eis a prova de que a realidade nunca é o que parece e podemos criar a nossa própria, mesmo emparedados pelas épocas, pelas modas, sobretudo pela força do grupo. O amor é sempre amor e pode até expressar-se num silencio.
Grato pelas visitas. Beijinho

mateo disse...

... e eu que, em momento de parvoíce, queimei as tais cartas!
Hoje, queria lê-las porque não eram nada, mas mesmo nada, ridículas!
O Álvaro de Campos não estava nele quando escreveu esse "estigma"!
Beijo.

tem a palavra o povo disse...

maria lobos.
Ao ler estas cartas, há dias, e porque disseste que gostas de cartas de amor, ainda que possam parecer ridiculas, ofereço-te o que poderia ser um pouco de carta, um pouco de memória, um pouco de ridiculo...

"minha querida, meu amor sublime, meu ser profundo , minha raiz de vida que eu amo eternamente.

A paisagem verde, luxuriante que nos esconde dos medos, o sol tórrido, amarelado que me queima a saudade de te ver, de te cheirar. Como eu sinto o teu cheiro na memória dos odores, meu amor, minha deusa de amor apaixonada.
As noticias levam tanto tempo que quando te recebo já não sei se estás bem como me dizes, se sentes hoje no momento em que te leio , o mesmo que sentiste há uma semana o que escreveste.
Quero pedir-te que me mandes, meu amorzinho, meu doce, meu mel, um pouco dos teus cabelos pretos e alguns da púbis, com o teu cheiro, mandas?
...

podia ser a carta de um soldado,do interior da mata, no silêncio da tarde, as tardes absurdas de silêncio.
Beijinhos amiga