domingo, 22 de maio de 2011

Avô



Ninguém conseguia perceber
porque ao fim da tarde,
aquela casinha com janelas
de madeira sem idade,
se iluminava como se tivesse
lá dentro o nascer do sol.
Mas era fácil de entender.

O sol nascia sempre que a
pequena Ana entrava lá dentro
e saltando para o colo do avô
lhe dizia:
avôzinho gosto tanto, tanto de si***
*
maria loBos
Se fosse vivo fazia hoje anos o meu pai... avô da Ana.
Passados tantos anos...não consigo enganar a saudade...
Sou uma pessoa que lida mal com a falta fisica...
Apesar de dizer que quem amamos está sempre perto de nós...
Sinto a falta do toque...do calor...do timbre da voz...
Gosto à noite de olhar o céu... e escolher ao calhas uma estrela...
cresci a pensar que no céu as estrelas...são aqueles que partiram mas que estão lá a olhar por nós...
Pensamento comum a muitos...mas afinal como um dia alguém disse...sou uma pessoa comum...mas não uma pessoa qualquer...
Pai...logo vou olhar para o céu...brilha para mim*****

(imagem google)

25 comentários:

lady-of-smile disse...

Minha querida mãe, hoje, quando olhares para o céu vais ver uma estrela a brilhar intensamente, sim, vais ver, mas vai ser pelo orgulho que o avô tem em ver que a sua filha se tornou numa excelente amiga e sobretudo uma mãe de todas as estrelas e galáxias que existem por aí além.

Esteja onde ele estiver, estará a brilhar de felicidade e orgulho!

Amo-te **

mfc disse...

Quem não sente as perdas que nos vão fazendo falta ao longo da vida?!
Como te entendo tão bem!

Nuno disse...

Em todo o teu caminho o seu amor te vai guiar, está sempre presente no teu coração sem distâncias e quando a saudade apertar,procura no céu a estrela que mais brilhar
Ela será o seu olhar*


:)

tb disse...

Um beijo de estrela brilhante. :))))))

retrato disse...

minha Amiga,
adoro olhar as estrelas no céu. entretenho-me a contá-las, mas perco-me. tento vislumbrar qual a mais brilhante, mas penso... o brilho não quer dizer grandeza e sim, presença.
sei que uma delas algo tem a ver comigo, e fixo-a. ás tantas estou em diálogo com a saudade e muito longe do esquecimento.

minha Amiga,
orgulhoso do que escreveste, "ele" já está sentadinho à tua espera.

bj

João de Sousa Teixeira disse...

Muda-se o género mas o colo é sempre o mesmo...

MEMÓRIA DOS CHEIROS


I

Não havia cheiros como os da casa da minha avó.
Ah, se eu pudesse descreve-los,
reproduzi-los com palavras perfumadas!
Subia as escadas
com aromas carregados de maresias recentes,
misturados com o perfume do irrepreensível encerado,
e sabia, pela corrente de ar vinda da cozinha,
que uma grande fatia de pão caseiro,
com queijo de cabra, me estaria reservada para a merenda.
Cada recanto tinha o seu próprio odor,
por isso reconhecia de olhos fechados
a geografia de toda a casa
e do meloso aroma das mãos que me afagavam o rosto,
dos lábios que me beijavam,
do regaço que me acolhia como ninguém.

Beijinho
João

Pedrasnuas disse...

Sempre que contemplo o céu e vejo as estrelas lembro-me logo do principezinho...da sua gargalhada festiva e bem timbrada...e quem sabe se todos os que partiram não nos observam lá de cima...

Obrigada pelos comentários.

Beijinhos

rosa dourada/ondina azul disse...

Amiga,

A saudade permanece, o tempo não a apaga!
A docura permanece:)

Belo o comentário da neta:)

Há dias que as estrelas brilham mais forte... porque será?

brisas e estrelas, te deixo,

© Piedade Araújo Sol disse...

eu tb sempre lidei muito mal com a falta fisica que o meu pai me fez.

já tantos anos e a saudade, sempre presente...

beij

Ana Paula Fumian disse...

adorei seu espaço! quando puder me visite e leia "Um lugar pra sempre". bjus Ana Paula Fumian www.manuscritus.com

tulipa disse...

A PEDIDO DE ALGUNS AMIGOS
vou fazer a
1ª EXPOSIÇÃO EM LISBOA
das tais fotos da ÍNDIA
que já estiveram expostas por 5 vezes em lugares bem diferentes.

Desta vez espero a sua visita.

E, se puder divulgar aos seus amigos e conhecidos eu agradeço, porque já não vou expôr mais vez nenhuma em Lisboa.


Aproxima-se mais um grande momento na minha vida.

Será a 1ª EXPOSIÇÃO EM LISBOA

e a 1ª EXPOSIÇÃO DE 2011

Pelo espaço em si, adivinha-se algo diferente do que já foi feito até hoje.

Desta forma CONVIDO todos vós,
que me acompanham pela Blogosfera desde 2005.
Uns desse tempo e outros mais recentes,
mas cá vamos andando,
sem desistir e isso é o mais importante nesta vida dos blogues.

Quem achar que tem interesse em visitar, faça o favor de aparecer.

Prometo um atendimento personalizado da minha pessoa, como tenho feito nas anteriores exposições.

Vou estar presente no DIA DA INAUGURAÇÃO
- HOJE - sexta-feira - 27 de MAIO pelas 22 horas.

Serão 3 semanas que estará patente ao público.

Um abraço.

Graça Pires disse...

Comovente, amiga.
Vocês são ainda as estrelas brilhantes que, onde que quer esteja o avô, há-de olhar-vos com orgulho...
Um grande beijo.

Eduardo Aleixo disse...

"Gosto à noite de olhar o céu... e escolher ao calhas uma estrela...
cresci a pensar que no céu as estrelas...são aqueles que partiram mas que estão lá a olhar por nós... "
Também gosto de pensar assim.
Mesmo que não seja verdade gosto de sentir assim.
Gosto do que escreveu.
Beijinho.

Baila sem peso disse...

Nina linda, brilhará sempre pa ti
assim como outras estrelinhas
que não estão fisicamente
mas brilham constantemente
na eterna protecção
que é o Amor do coração!

Tu sabes bem...

(desculpa a minha ausência
tb fiz anitos este mês
mas ando com tantos porquês
que não consigo aqui estar
senão por breve passar...
mas acredita, vou voltar!) :)

Brisas com carinho deixadas
entre estrelinhas deitadas**

DE-PROPOSITO disse...

Deambulei por aqui.
E como hoje é dia 28 de Maio; FELIZ ANIVERSÁRIO.
--------
Felicidades
Manuel

Filipa Epifânio disse...

Este post diz-me tanto que prefiro não dizer nada*

ZezinhoMota disse...

Realmente os sentimentos seguem paralelos, mesmo que desconhecidos, parecidos no sentir e na ausência existem sempre saudade que doe...

Mesmo muito recente, a perda de minha mãe, não existe um dia que esteja presente nessa dor de ausência sofrida...

Feliz resto de semana.

Bjnhs do amigo ZezinhoMota

A Poesia do Zezinho II http://zezinhomota1.blogspot.com

Eduardo Aleixo disse...

Passei por aqui e deixo um abraço.

lobices disse...

...grato pela visita (demorada, saborosa...) ao meu covil e pelas palavras lá deixadas como pequenas pegadas...
...a porta está sempre aberta ao parapeito da tua janela...

Maria disse...

Gostava de acreditar que as estrelas eram, são, quem já perdemos... acho que nunca dormia de noite...
:((((

Eduardo Aleixo disse...

Um abraço amigo.

Andradarte disse...

A saudade de quem se amou muito...bem
expressa....
Obrigado por sua visita....
Bejo

Pedrasnuas disse...

Se sentes a falta do teu pai é porque ele foi importante para ti...e esse amor não se extingue ...fica para sempre na tua memória e quem sabe na alma dos que se vão...????

Confesso que me agrada muito mais a ideia de que quem morre, não morre,vive outra forma de eternidade do que imaginar apenas um corpo desfeito e nada mais...

Beijinhos e obrigada pelo assalto...que se tornou costumeiro...:)))

jardinsdeLaura disse...

Parapeito,
Belíssimo texto! A sua frase final tocou-me duma forma que não vou esquecer! Doces são as brisas que por aqui se respiram!

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente....
Cumprimentos