domingo, 20 de fevereiro de 2011

Entendes?


*
Não me alegra que penses em mim e me queiras
quando estás só...
Gostava mais que sentisses a minha falta,
quando estivesses acompanhado por aqueles
que gostas...
Entendes?
*
Brisas doces para todos*
maria loBos*

24 comentários:

retrato disse...

inteligente recado, e só não o entende, quem não dá valor, reconhece, o que na realidade somos para eles. os que não sabem o que é olhar para nós e ver o seu refúgio contra as suas intempéries. os que não sabem o que é "gostar".

Maria disse...

Eu entendo...
Abraço.

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite, amiga!

Depois duma prolongada e forçada ausência

aqui estou de novo

a visitar os amigos.

Saudações minhas

Nanda Assis disse...

o coração complica as coisas!!

bjos...

mfc disse...

É bem fácil de entender... e importante.

Maria G. disse...

Parece óbvio, mas nem sempre o óbvio é visível.


M.G.

Graça Pires disse...

Entende-se bem e é uma bela declaração de amor.
Um beijo, minha amiga.

Pedrasnuas disse...

Compreendo perfeitamente e é irritante que nos procurem quando já não têm mais ninguém...Resta virem bater à nossa porta ...a fazerem de conta que sentem a nossa falta quando afinal fomos os últimos...porque os outros foram os primeiros...e só se se aproximam porque os outros deram-lhes a costas e restamos nós...

Detesto isso!!!

Abraço

notyet disse...

Embora possa gerar em cada cabeça sua sentença, é fácil de entender e uma boa forma de nunca estar só entre a multidão.
Fica o beijinho com as brisas doces e serenas e o agradecimento pela constante generosidade dos seus comentários

abelhaferrona.blogspot.com disse...

Gosto muito de "passar" pelo seu blog, adoro as fotos do Duarte, ele apesar de tão pequenino tem uns olhos lindos, tão pequenino e "lê-se" nos seus olhos o quanto vai ser "interessado" nesta vida. Parabéns.
Um abraço aqui de Coimbra.
AnaBorges

tb disse...

eu entendo... :) beijos como brisas

Rolando Palma disse...

Existem queixumes que são mais cortantes que a lâmina da espada. Cortam a alma, escorrem sinceridade e fazem-nos pensar que não... dizemos muitas vezes que entendemos... mas nem sempre entendemos.

Tudo de bom para ti,

Carmo disse...

Entendo,
Como é fácil e conveniente lembramo-nos dos outros quando a solidão aperta?!
Um beijo
Boa semana

Baila sem peso disse...

Como eu te entendo nina!!!

(ando tãããão cansada e atarefada que mal dá para deixar aqui ou ali um pouquinho do meu carinho...tb eu me sinto "abandonada" no meio da multidão, sem ter tempo para afagar outro chão...mas isto vai, pois então!) :)

Para ti, teu principezinho, e todo o teu bichinho vão brisas serenas com cor alva de açucenas

W. Luis disse...

"Solidão não é estar só! Solidão é estar entre mil pessoas! Mas sentir falta de só uma..."

Sempre que venho a esse blog encontro algo interessante. Parabéns!

Secreta disse...

Venho deixar-te um beijito.
Espero que por "aí" tudo esteja bem.

notyet disse...

E noticias do principe ?
Brisas doces e serenas no azul

Folhetim Cultural disse...

Olá gostaria que visita se meu blog que é dedicado a cultura. Espero que goste nele tenho uma coluna poética aos sábados ás 09 da manhã espero poder contar com sua visita.

Sucesso em seu espaço.

Magno Oliveira
Twitter: @oliveirasmagno ou twitter/oliveirasmagno
Telefone: 55 11 61903992
E-mail oliveira_m_silva@hotmail.com

tulipa disse...

Recado dado!
Há quem não entenda...

Gostei deste pensamento sobre viagens e férias:

COSTUMO RESPONDER,
NORMALMENTE,
A QUEM ME PERGUNTA A RAZÃO DAS MINHAS VIAGENS:
QUE SEI MUITO BEM DAQUILO QUE FUJO,
E NÃO AQUILO QUE PROCURO.

( Michel de Montaigne )

Nilson Barcelli disse...

Quando alguém nos procura por exclusão de partes... é horrível...
Como te entendo...
Boa semana.
Brisas doces também para ti.

Graça Pires disse...

Obrigada pela vossa presença na minha Festa...
Um beijo.

Fernando Santos (Chana) disse...

Bela declaração de amor...Espectacular....
Cumprimentos

© Piedade Araújo Sol disse...

eu entendo.
até demais.
beijo

Arroba disse...

Boa tarde! Passei sem querer por aqui e adorei ler. Pleno de sensibilidade , bem escrito.Parabéns!