segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Uma Flor Apenas


Uma flor apenas
e vermelha.
Tinha o sol nos cabelos
e lama nas raízes.
Alguém a plantara
numa terra velha
roida de varizes.

E nem assim finou.

Ervas sugam-lhe as veias
e as rajadas das areias
crestam-lhe a carne.

Mas nem assim murchou.

É uma flor
e o sol fê-la vermelha.
Isso bastou.
*
Fernando Namora
*
O prometido é devido :)
Gente boa...vamos todos ser flor.
Brisas mansas para todos*****

26 comentários:

Lídia Borges disse...

Resistente, lutadora, linda!...

Um poema é maravilhoso.

Obrigada!

L.B.

Maria disse...

Estas flores vermelhos, assim resistindo, dificilmente murcham...

Um dia bom para ti
(parece que chegaram as brisas!)

Uma estrela errante disse...

Boa escolha,beleza!

Sou flor meiga e fragil, em mim o sol da tua amizade.

Beijinhos e abraços

Isa

Marco Horta disse...

Se eu largar eu sinto a sua falta
Se eu agarro ela perde a côr
Ela não é dos meus dedos
É dos meus medos

E faço-me passar por uma flor
Tento imaginar o que ela diz
À espera de aprender.

MANUEL CRUZ

E aqui estou eu à espera de aprender...bjs

Charlotte disse...

Como a simplicidade de uma flor nos pode trazer tanta harmonia!
Simples, mas tão bela!

Beijinhos e Boa Semana!

Lídia Borges disse...

Voltei só para corrigir:

"Um poema maravilhoso!"
O "é" não é daqui... :)

Beijo

Sininho disse...

Poema da flor proibida

Por detrás de cada flor
há um homem de chapéu de coco e sobrolho carregado.

Podia estar à frente ou estar ao lado,
mas não, está colocado
exactamente por detrás da flor.
Também não está escondido nem dissimulado,
está dignamente especado
por detrás da flor.

Abro as narinas para respirar
o perfume da flor,
não de repente
(é claro) mas devagar,
a pouco e pouco,
com os olhos postos no chapéu de coco.

Ele ama-me. Defende-me com os seus carinhos,
protege-me com o seu amor.
Ele sabe que a flor pode ter espinhos,
ou tem mesmo,
ou já teve,
ou pode vir a ter,
e fica triste se me vê sofrer.

Transmito um pensamento à flor
sem mover a cabeça e sem a olhar
De repente,
como um cão cínico arreganho o dente
e engulo-a sem mastigar.



António Gedeão
Obra Poética
Edições João Sá da Costa
2001

... Tu também estás sempre atrás das flores a olhar por mim.. eu sei =) adoro ti

Pedrasnuas disse...

UMA FLOR APENAS,POIS, UMA FLOR APENAS...
EM QUEM NINGUÉM REPAROU...
UMA SIMPLES FLOR SEM PENAS
QUE NUNCA UMA LÁGRIMA BROTOU

UMA FLOR QUE FICA
SOZINHA NA MONTANHA
ABANDONADA MAS RICA
NUM VERSO DE RIMA BRANCA

UMA FORTALEZA DE FLOR...

NÃO É FÁCIL ENFRENTAR TEMPESTADES DE AREIAS,NEM QUANDO ELAS SÃO MOVEDIÇAS...NEM QUANDO NOS SUGAM A ALMA E NOS SUFOCAM...

JÁ QUE INVENTASTE O JOGO QUE FLOR DEVO SER? :)

ESTÁ BEM, LÁ VÃO AS BRISAS MANSAS...QUERO VER QUANDO O INVERNO CHEGAR...E SURGIREM POR CÁ AQUELAS VENTANIAS...COMO SERÁ,SÓ TE POSSO ENVIAR DESSAS...:)))

Rosy disse...

e que flor lutadora,
nascendo em terras secas e desprovidas do essencial,
mas insistindo ela venceu.
assim todos nos, independentemente de nossa condiçao nos podemos superar, todos possuimos o sol que iluminou esta flor vermelha.. todos nos possuimos um samgue vermelho..
todos nos fomos germinados..
por isso, temos assim k persistir!
boa continuaçao..
beijinho.

Å®t Øf £övë disse...

Uma flor vermelha é e será sempre para mim um simbolo da paixão ardente.
Bjo.

mundo azul disse...

_________________________________


...ah, que lindo!
Se a semente é boa e saudavel, as flores acabam vingando, mesmo nas intempéries...

Beijos de luz e o meu carinho!

__________________________________

tb disse...

contra ventos e ventanias, até que o sol a faça vermelha!e depois... virá a brisa mansa da tarde que acalma. :))ainda que a terra grete e seque. ela mantém-se de pé. mesmo que olhe à sua volta e esteja só...
abraços com brisas mansas por dentro :)***

© Piedade Araújo Sol disse...

olá

uma boa escolha de um belo poema do Fernando Namora.

beij

Aqui - Ali - Acolá disse...

Meu maior pedido a familiares e amigos foi este:

Quando eu morrer, apenas o que mais desejo é que nunca se esqueçam de me pôr flores em minha campa.

São elas para mim o maior símbolo de vida para uma presença sempre crónica no pensamento e alma de quem me poderá recordar para sempre.

Dêem-me uma flor se me querem ver feliz.

Obrigado por esta flor amiga.

Bjos, felicidades e brisas mansas num prado de lindas flores..

Graça Pires disse...

Um poema lindíssimo de um escritor que começa a ser esquecido.
Obrigada pela flor...
Um beijo.

Eli disse...

Aqui respira-se serenidade.

Muito obrigada pelo comentário que escreveste no meu blog. Inspirou-me. Gostei.

:)

"Sê como a onda que morre para outra começar."

:))

Nuno disse...

Como é bom passar por aqui e poder sentir as brisas mansas e o perfume das flores que plantaste no teu parapeito.

Bj*

Gato_malvado*

L disse...

É complicado para um homem dizer "vou ser uma flor" :p

Xana disse...

Cada flor , com a sua vontade de viver.~Eu sou um girassol, queres girar comigo? :)

beijinhos

Secreta disse...

Uma flor que não se deixa abater pelas coisas más! Uma lutadora, sem duvida.

Nuno G. disse...

Convido-te para a apresentação do meu livro dia 6 de Novembro, no Porto, 18 horas, Espaço Imerge (R. Santa Catarina,777)

www.minha-gaveta.blogspot.com

Pedrasnuas disse...

GRANDE ASSALTO AOS MEUS ENSAIOS!!!
:)))

BRISAS SEMPRE MANSAS

Rosy disse...

Boa noite, o seu blog foi presenciado pelo: www.versoslivres-rosy.blogspot.com
visite-o e confirme sua surpresa!
beijinhos

Luz disse...

Uma flor apenas, uma simples flor... Uma flor apenas, com força de lutadora, com garra de vingar a sua vida na vida que lhe deu cor...
Vamos todos ser flor!

Um dos meus autores inesquecíveis, obrigada.

Sonhadoremfulltime disse...

Gostei do seu parapeito, adorei a sua janela flrida, senti no coração as palavras que semeou no meu humilde espaço.

Obrigado pela visita

Um abraço fraterno

O Profeta disse...

Lembrarás tu que as manhãs
Acordam da tua luz fugidia
És esperança de perdida estrela
Quem recolhe a dor em Deus confia

Assombração que o luar esqueceu
Nas margens de um lago azul
Hoje passou a voar por mim
A última garça a caminho do sul

Era alva como a espuma do mar
Graciosa como mulher feliz
Voava de encontro ao vento
Com olhar brilhante de petiz


Boa semana



Doce beijo