sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Tu e eu*




Gostava tal como tu
de voar livremente
de conhecer e viver o mundo

Tu tens asas e tens a sorte
de as poderes usar
Eu tambem as tenho
mas tenho o azar de estar
presa mesmo sabendo voar

Tu vives
tu sentes sempre
com alegria o teu sonho
que fazes realidade

Eu vivo a imaginar
Que sou livre
vivo para acreditar
Que tambem um dia
Voarei como tu..




maria loBos


(imagem tirada do google)

Um comentário:

Ana disse...

No mais fundo de ti,
eu sei que que nunca te vou trair, mãe.
Tudo porque serei sempre
a menina adormecida
no fundo dos teus olhos.
Tudo porque tu não ignoras
que há leitos onde o frio não se demora
e noites rumorosas de águas matinais.
Por isso, às vezes, as palavras que te digo
não são suficientemente doces, mãe,
mas o nosso amor é feliz.
Tudo porque guardei as rosas brancas
que apertava junto ao coração
no retrato da moldura.
Se soubesses como ainda amo as rosas,
talvez enchesses as horas de sonhos.
ainda oiço a tua voz:
Era uma vez uma princesa
no meio de um laranjal...
Mas - tu sabes - a noite é enorme,
e todo o meu corpo cresceu.
Eu saí da moldura,
dei às aves os meus olhos a beber.
Mas não me esqueci de nada, mãe.
Guardo a tua voz dentro de mim.
E não levo as rosas porque te levo a ti mãe, meu orvalho da manhã.
Até logo. Amo tu P**a