terça-feira, 22 de setembro de 2009

Poema 6**



Onda que vais morrendo em nova onda,
mar que vais morrendo noutro mar,
assim a minha vida se desprenda e do meu sumo
escorra a vida para as bocas que se finam
de desejar.

Ó dia que vais escoando como os rios
e empalideces rostos e cabelos,
traze a palavra para a incerteza
dos que vagueiam à deriva;
a bandeira amarela se rasgue
e dos farrapos se gere outra cor.

Ó dia correndo e findando,
some-te lá no cimo da fraga
mas deixa que no teu rasto fique o sangue
anunciando a esperança noutro dia.

Sê como a onda que morre para outra começar.
*
Fernando Namora in Mar de Sargaços
*
Aqui deixo este poema do Namora ,
para uma pessoa que é muito especial para mim.
Acredita na força das novas marés...
Tu és onda...sempre a onda que começa!
Um abraço cheio de brisas mansas****

20 comentários:

Maria disse...

Que bonito poema com cheiro a sargaço..
Gostei tanto...
Obrigada!

Um abraço numa onda que recomeça

Aqui - Ali - Acolá disse...

Belo poema amiga, o anúncio da esperança noutro dia é defacto como uma onda que morre para outra começar.

Bjos, felicidades com brisas mansas no novo dia.

Uma estrela errante disse...

Olá doce menina,

Belo o teu presentear...

há sempre um recomeçar....e um sorriso embrulhado de ESPERANÇA.

Beijinhos e mil sorrisos em ti,amiga.

Isa

Å®t Øf £övë disse...

"Onda que vais morrendo em nova onda, mar que vais morrendo noutro mar" fez-me lembrar que o Outono já chegou, e que o mar ficou mais longe, pelo menos até à proxima Primavera.
Bjo.

soli-arte disse...

Bonito poema com uma linda foto a acompanhar.
Beijos
Teresa

Graça Pires disse...

Fernado Namora, um escritor que se vai esquecendo. Que bom encontrá-lo aqui neste poema que também me diz imenso.
Um beijo.

Nuno G. disse...

sempre bom passar por aqui...

Pedrasnuas disse...

SEJA PARA QUEM FOR ...DEVE SER ONDA...UMA ONDA POSITIVA, UMA ONDA DE REBENTAÇÃO DE VAIM-VÉM GALGANDO POR ESSE "MONSTRUOSO" MAR ALÉM...

VENHO RETRIBUIR AS BRISAS MANSAS ,MANHOSAS,BRINCALHONAS
...E DEIXA-AS PASSAR DE UM LADO A OUTRO DO ODEANO...

UMA ONDE DE AMIZADE PARA TI
COM UM BEIJINHO À MISTURA

© Piedade Araújo Sol disse...

brisas mansas?!

e o beijo ruim de bom!!

lol

Sininho disse...

Sabes... sentir a tua brisa, é das poucas coisas que num dia triste me dá algum alento. Obrigada. :)

GMdt

tb disse...

:))))))**** brisas mansas que beijam a maré que a todo o tempo recomeça...

Vieira Calado disse...

Por acaso, esta não conhecia.

Conheço melhor a prosa.

Cumprimento

Bruno Lopes disse...

Um poema muito bonito escolhido por uma pessoa 5 estrelas, ao qual admiro muito. Muitos beijos

Nilson Barcelli disse...

Gostei do poema, que não conhecia, de um grande escritor que admiro.
Obrigado pela partilha.
Beijo.

Ôbèron disse...

Sempre bom te ler,
vir aqui,
apreciar essas letras.

Lindos dias para ti.

Marco Horta disse...

O Sol morre todos os dias no horizonte para renascer no dia seguinte...assim como Cada dia é uma oportunidade unica de nos reinventar-mos e sermos felizes...
Abraços*****

Charlotte disse...

Foste abraçada! Passa no meu blogue!

O Profeta disse...

...Às vezes uma intensa alucinação
Em que viajas pelo meu eu
Às vezes o mundo fica em espera
Da união do mar com o céu

Onde param os teus anseios
Onde encontras a sublime calma
Nestes dias de dura tormenta
Onde aqueces a tua alma?

Voa comigo...


Mágico beijo

Nuno disse...

E na onda chego para ler mais um belo poema, bem escolhido para a pessoa muito especial içar as velas e percorrer o rumo certo para chegar ao porto seguro,


beijo do gato_malvado*
directamente do porto de abrigo

:)

Sight Xperience disse...

Uma excelente escolha...com perfume de maresia! O mar, com as suas ondas é fascinate e até hipnotizante.
Não conhecia este Parapeito...vou passar a debruçar-me nela mais vezes.
Agradeço a visita e palavras simpáticas!